Esqueça o filtro solar e acredite no conhecimento

Andávamos meio sumidos. Voltando aos poucos, mas com todo gás! 😉

Esqueça o filtro solar e acredite no conhecimento é o primeiro curta-metragem da SUPER e traz 12 conselhos científicos para uma vida mais interessante.
Acredite no conhecimento. Enxergue SUPER

Ideia Original – Kleyson Barbosa
Roteiro – Cláudia Fusco, Kleyson Barbosa e Raphael Erichsen
Ator – Rodrigo Arijon
Direção – Raphael Erichsen
Direção de fotografia/Câmera – Rodrigo Braga
Montagem – Tiago Berbare
Produção – Amanda Rodrigues
Pós-Produção – Sindicato Filmes
Coordenação de pós-produção – Tiago Berbare
Som Direto/Edição de som – Daniel Téo
Assistente de direção – Clarice Laus
1* assistente de câmera – Bruno Cas
2* assistente de câmera – Fábio Costa
Direção executiva – Edson Bottura
Coordenação executiva – Josi Campos
Assistente de coordenação — Caio Caprioli
Diretor de Redação da Superinteressante — Sergio Gwercman

“Noite Americana”, “Orange Trafic Cones”, “Way back home” e “Afterglow” gentilmente cedidas por Driving Muisc
http://www.driving-music.net

Produção – 3filmgroup.tv
Realização – SUPERINTERESSANTE

Anúncios

Martin Heidegger: Pensar o impensável

Martin Heidegger – Humano, demasiado humano (1999)
Capítulo dedicado a Martin Heidegger pertencente à série “Humano, demasiado humado”, produzida pela BBC. No documentário  se faz um apanhado de alguns aspectos de seu pensamento e dos mais destacados feitos do filósofo alemão – como por exemplo sua relação com Edmundo Husserl e Hannah Arendt. A maior parte do documentário está dedicada a explirar os vínculos entre Heidegger e o Nazismo, apresentando diversos argumentos sobre suas possíveis causas. O episódio apresenta testemunhos de renomados intelectuais como Richard Rorty, George Steiner e Hans-Georg Gadamer.

Especial Nietzsche – Viviane Mosé – Café Filosófico

O que será da Rua de Mão Única?

Está na natureza
Será, que será?
O que não tem certeza nem nunca terá
O que não tem conserto nem nunca terá
O que não tem tamanho…

O que não tem governo nem nunca terá
O que não tem vergonha nem nunca terá
O que não tem juízo…

Sentou-se na cama com o corpo ainda dolorido e olhou a janela. Borboleta pousada no parapeito aguardava a abertura dela para olhar. Lá dentro alegria era pluma pairada sobre o ombro dele. O salto, o sapato, uma noite. Bebida. Encontro. Tudo ressoava na tontura do corpo. Alegria era o vento que levantara a blusa dela ao dançar.

Acordaram acompanhados um do outro na sala que não era deles. Cada um seu corpo, cada corpo seu lado. “Quem diria…” pensaram. Mas alegria era o sorriso de pluma no canto do lábio e letra da música dita ao pé do ouvido.

O abraço calava as palavras da manhã fria e atenuava a estranheza de tão boa sensação: estar junto. Alegrias eram plumas colhidas no instante. Beijo ainda era doce de manhã.

A rua era de mão única, mas, tudo bem, naquela manhã queriam ir para o mesmo lado.

*Texto baseado em fragmentos do livro: Rua de Mão Única de Walter Benjamin.

**Originalmente publicado aqui: http://mariliasilveira.blogspot.com/

VII Colóquio Internacional Michel Foucault – PUC/SP

24 a 27 de outubro de 2011.

O Mesmo e o Outro. 50 anos deHistória da Loucura (1961-2011).

Mas, para mim, 1961 continua e continuará sendo o ano em que se descobriu um verdadeiro grande filósofo. Eu já conhecia pelo menos dois que haviam sido meus colegas de estudos, Raymond Aron e Jean-Paul Sartre. Também não eram  indulgentes com relação a Foucault. Um dia, contudo, os três foram vistos juntos.  Era para apoiar, contra a morte, uma aventura sem fronteiras. (Georges Canguilhem)

Tendo por mote central a comemoração do cinquentenário de História da loucura na idade clássica, o Departamento de Filosofia e o Programa de Estudos Pós-graduados em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo propõem a realização do VII Colóquio Internacional Michel Foucault. O evento pretende dar continuidade a uma sequência regular de Colóquios, realizados em várias instituições (USP, UERJ, UNICAMP, UFRGN, UFRJ) e fazer da “celebração” desta obra já cinquentenária um instrumento de interrogação e de abertura às questões do presente.

A programação do evento está estruturada em conferências e comunicações. As conferências serão proferidas por professores convidados estrangeiros (Ècole Normale Superieure de Paris, Université de Bordeaux, Universidad Complutense de Madrid e Universidade de Lisboa). As comunicações serão organizadas em mesas redondas com professores brasileiros de várias universidades do país, vinculados a diferentes áreas do conhecimento (Filosofia, História, Educação, Ciências Sociais, Psicologia, Direito), configurando assim a natureza interdisciplinar do evento.

Maiores informações em: http://www.coloquiofoucault2011.com.br/#num=content-3801700&id=album-211405

Curso de Extensão (UFRGS): Prevenção e Uso de Drogas em Crianças e Adolescentes

16° Encontro Nacional ABRAPSO

 

12-15 novembro/2011 Recife, Pernambuco

http://www.encontro2011.abrapso.org.br/site/capa

Ainda restam 16 dias para o envio de resumos de trabalhos.

 

O atual cenário político brasileiro apresenta importantes paradoxos. Se por um lado, avançamos nos caminhos rumo a uma sociedade plural e democrática, por outro, ainda estamos distantes do nosso ideal de justiça social. Isso ficou evidente, recentemente, no período eleitoral, cujos debates em torno de questões fundamentais aos direitos humanos (especialmente aqueles relativos à sexualidade e aos direitos reprodutivos) foram tratados de maneira superficial e moralizante. Na defesa de uma sociedade plural e democrática, faz-se importante perguntar pelo significado da moralização da luta por direitos democráticos e, dessa forma, a quem ela visa beneficiar.

Comemorando 30 anos, a ABRAPSO reafirma com o 16º encontro nacional sua resistência política à cristalização das instituições humanas, ao propor um evento que alia ensino, pesquisa e atuação profissional em Psicologia Social implicada com o debate atual sobre problemas sociais e políticos do nosso país e sobre o cotidiano da nossa sociedade.

A Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO) nasceu comprometida com processos de democratização do país, a partir de uma análise crítica sobre a produção de conhecimento e atuação profissional em Psicologia Social e áreas afins. Nosso horizonte é a construção de uma sociedade fundamentada em princípios de justiça social e de solidariedade, de uma sociedade comprometida com a ampliação da democracia que se opõe à moralização da luta por direitos e ao expurgo à diferença. Nossas pesquisas e ações profissionais visam à crítica à produção e reprodução de desigualdades, seja ela econômica, racial, de gênero, por orientação sexual, por localização geográfica ou qualquer outro aspecto que sirva para oprimir indivíduos e grupos. Os princípios que orientam as práticas sociais dos filiados à ABRAPSO são, portanto, o respeito à vida e à diversidade, o acolhimento à liberdade de expressão democrática, bem como o repúdio a toda e qualquer forma de violência e discriminação.

Nossa entidade, como parte da sociedade civil, tem buscado contribuir, na forma de controle social sobre a ação do Estado, para que possamos de fato avançar na explicitação e resolução de violências de diversas ordens que atentam contra a dignidade das pessoas.

O Encontro Nacional de Psicologia Social promovido pela ABRAPSO é uma dessas estratégias, sendo um dos primeiros eventos nacionais nessa área (desde 1980) e o 3º maior encontro brasileiro de Psicologia, em numero de participantes, reunindo nos últimos encontros uma média de 3.000 pessoas e apresentação de mais de 2.000 trabalhos.

Vale ressaltar que a 16ª edição do evento nacional acontecerá, pela segunda vez consecutiva, numa capital da Região Norte-Nordeste (Recife), conforme decisão da entidade, em Assembléia, de modo a potencializar e dar visibilidade à produção dessas regiões. Essa decisão coaduna também com políticas de expansão e fortalecimento de programas de pós-graduação em Psicologia e áreas afins para regiões geográficas distantes dos pólos de maior desenvolvimento sócio-econômico do país, visando contribuir para a diminuição das desigualdades sociais.

 


Objetivos

Assim, o objetivo geral do encontro é promover a visibilidade e troca de conhecimentos e experiências no campo da psicologia social em sua interface com a produção acadêmica, os movimentos sociais e a gestão pública, favorecendo a construção de conhecimentos críticos e proposição de políticas para superação dos problemas sociais que vivenciamos em nosso país. As metas a serem alcançadas envolvem principalmente as seguintes questões:

  • fomentar o desenvolvimento da Psicologia Social como área de produção de conhecimento científico no Brasil, ampliando o intercâmbio entre pesquisadores, professores, profissionais e alunos;
  • fomentar a interlocução entre pesquisadores e profissionais, potencializando a melhoria continuada da prática profissional e maior inserção da pesquisa nos problemas que desafiam a sociedade brasileira;
  • estimular o debate sobre problemas nacionais, regionais e locais, indispensável à produção de conhecimento e à intervenção profissional;
  • discutir, analisar e propor formas e mecanismos que contribuam para a formação de profissionais, a partir de uma perspectiva crítica e plural;
  • potencializar e dar visibilidade à produção em Psicologia Social nas Regiões Norte-Nordeste.

 

Participantes

O evento é voltado para estudantes, profissionais que atuam na formulação ou implementação de políticas públicas, profissionais autônomos, professores, pesquisadores de Psicologia Social e áreas afins do Brasil e do exterior, com participação estimada de 4.000 pessoas, tomando como base a freqüência dos eventos anteriores.

Entradas Mais Antigas Anteriores