Saudades

Que se danem as formalidades.

As rimas, as igualdades.

Para o inferno com a etiqueta,

com a gratitude, com essa letra!

De nada valem as tardes de sábado,

Se não te tenho comigo

e sozinha sigo,

no meio de todo mundo..

 

E assim estampo com orgulho

a saudade que me mata

e que não apaga

as malditas linhas do mapa.

 

Que ninguém me acorde!

Me chame, me suporte

pois não quero te superar,

me esquecer, te abandonar.

Ai de quem me fizer feliz!

Quero te lembrar

nas cabeças douradas

Nas idéias ousadas

Quero ouvir tuas risadas, ecoando no ar.

 
Poema de Janaína Bordignon, pra ti 🙂

 

 

Anúncios

5 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Simone
    abr 06, 2011 @ 08:47:33

    Que lindo o poema Jana!!!!

    Resposta

  2. Bloco do eu me importo
    abr 06, 2011 @ 17:38:20

    Brigada Simoooo! É um pouco de como eu me sinto maior parte do tempo!

    Resposta

  3. Fran
    abr 07, 2011 @ 23:24:43

    .

    Resposta

  4. Fran
    abr 07, 2011 @ 23:30:02

    Precisa falar alguma coisa?
    Eu sei que pra ti, não!

    Mas enfim, a coisa mais perfeita e sincera que alguém já escreveu.

    De nada valem as tardes de sábado,
    Se não te tenho comigo (L)

    Resposta

  5. Jana
    jun 07, 2011 @ 02:35:09

    Que bom q tu gostou amooor, espero q tu saiba tudo que não tá escrito no poema ❤ saudades mil!

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: